MÚSICA PARA ESTUDAR

 

 Afinal, estudar ouvindo música ajuda ou atrapalha? Esse é um grande dilema para muita gente. E a resposta é… depende!

Sabe-se que a música não tem um centro neurológico específico, ou seja, ouvir música envolve todas as nossas funções cognitivas, sendo assim “a música interfere na plasticidade cerebral, favorece conexões entre neurônios na área frontal do cérebro, que é relacionada a processos de memorização e atenção, além de estimular a comunicação entre os dois lados do cérebro, o que pode explicar sua relação com raciocínio e matemática.”¹

E segundo estudos patrocinados pelo Spotify e pela Universidade de Caen, na França, ouvir música instrumental (sem letra nenhuma) enquanto se estuda pode até aumentar a concentração. No primeiro estudo por exemplo, os alunos que estudaram matemática escutando música clássica tiveram uma concentração 12% melhor em suas provas. No segundo estudo, alunos de 249 universidades foram dividido em dois grupos, que iriam assistir à  uma palestra e depois realizar uma prova. O grupo que assistiu à palestra ouvindo música demonstrou mais atenção na prova e resultados mais satisfatórios. O estudo também mostrou que ouvir música ao estudar pode diminuir os transtornos de quem sofre de TDAH.

Por outro lado, ao estudar ouvindo músicas com letras, as informações recebidas pelo nosso cérebro tendem a divergir entre o que estamos ouvindo e o que estamos estudando, podendo prejudicar o aprendizado.

Ou seja, para máxima concentração nos estudos o ideal é um ambiente totalmente silencioso. Entretanto, a música (sem letra, apenas instrumental) pode ajudar a melhorar a concentração e até servir de escape quando tudo o que nos resta são fones de ouvido para fugir de um ambiente super barulhento. Vale de vez em quando também ouvir músicas com voz, mas que você não conheça a letra, para treinar o ouvido e estar preparado para fazer algum vestibular ou concurso com barulho.

Separei aqui algumas músicas que gosto muito de escutar enquanto estudo e outras que me ajudam a ter mais foco nos dias em até olhar pro teto é mais interessante do que estudar.




MÚSICA FOCO

ONDAS ALFA

Tchaikovsky > MÚSICA CLÁSSICA

Vivald > MÚSICA CLÁSSICA

PLAYLIST John Mayer/Jack Johnson/Jason Mraz

ah! se você tiver spotify, lá tem muitas playlists para estudar. Desde músicas para concentração total até mais animadas.

E para baixar as músicas do youtube no seu celular ou mesmo no seu computador para não precisar entrar na internet (alô procrastinação rs), ESSE SITE converte os videos para mp3.

¹ Trecho retirado do site: http://psiqweb.med.br/

 

COMO FAÇO MEUS MAPAS MENTAIS

Oi, gente! Algumas pessoas pediram pra eu contar um pouquinho como faço mapas mentais. Não sei se esse é o jeito mais didático do mundo rs mas me ajuda bastante para fixar principalmente as matérias de humanas. Não costumo fazer esses mapas mentais de tudo o que eu estudo porque levo cerca de 30-40min. Prefiro fazer mais para os assuntos que tenho muuita dificuldade ou como forma de relaxar depois que já consegui estudar tudo no fim do dia (cada louco com sua mania né? kkk).

Pois bem, os materiais que eu uso são:

  • uma folha sulfite
  • canetinha/lápis de cor  ou canetas coloridas
  • caneta preta (pode ser a boa e velha BIC ou qualquer uma também)

Passo1

E eu começo escrevendo com destaque no centro da folha sobre o assunto do mapa mental. Dá pra reparar que eu nem gosto das coisas coloridas kkk mas dá pra fazer só em letras grandes, sem pintar para não gastar tanto tempo. Nesse exemplo eu ia fazer um mapa mental sobre a Proclamação da República. Então escrevi o título no centro e já coloquei a data do acontecimento também.

DICA:  Você pode escolher uma cor pra cada matéria ou assunto que fará os mapas mentais pra se organizar melhor. Exemplo: Azul para história antiga, verde para contemporânea e assim por diante. 

Aí depois vem a pergunta: Por onde começar? O seu mapa mental pode ter uma disposição aleatória, sentido horário, anti-horário. Eu sempre faço os meus no sentido anti-horário. Peguei essa mania e agora sempre faço dessa maneira. Então sempre começo no sentido anti-horário e vou indo nessa direção.

As informações que devem contem no seu mapa mental são as mais importantes e necessárias para entender o assunto que você já estudou e só quer fixar ou guardar para uma revisão posterior, certo? Essa é a ordem que eu costumo começar. Ou quando não sei muito bem o que escrever no meu mapa mental, essa listinha me dá uma diretriz.

E então, mãos à obra:

ps: eu costumava ser mais perfeccionista com meus mapas mentais/resumos mas saí percebi que ou eu fazia-os perfeitos ou estudava pro vestibular. Os dois, não dava rs

Depois de colocar um tópico e as informações abaixo, puxe uma setinha para o centro da folha.

E é assim que fica depois de colocar todos os tópicos:

Espero ter ajudado. Qualquer dúvida, é só deixar um comentário ou falar comigo pelo insta @medicinadream. Se fizerem e postarem algum mapa mental, me marquem pra eu ver também ♥

 

CRONOGRAMA 2016

cronograma

Esse aí é o meu cronograma de 2016. Procurei rever tudo o que eu errei no ano passado para não repetir.

Uma dessas coisas foi: SONO. Eu sempre fui uma pessoa muito noturna, ou seja, ia dormir mega tarde e quem disse que eu conseguia acordar facilmente no dia seguinte? Às vezes nem conseguia ouvir o despertador, outras colocava eternamente em modo soneca e aí já começava o dia daquele jeito… correndo, fazendo de tudo para conseguir chegar na 1a aula. Isso tudo me atrapalhou muito. Então pra ter uma boa qualidade de sono e conseguir levantar na hora certa, ou tenho um horário pra dormir ou repito o mesmo erro.

Outra coisa que comecei a fazer e pretendo continuar esse ano é passar com uma Psicóloga. É muito bom e tem me ajudado a olhar tudo por uma perspectiva diferente, me conhecer bem melhor, saber meus pontos fortes e fracos e melhorá-los.

Eu não fazia atividade física e senti muita falta. Gostaria de poder fazer com mais frequência mas horário de vestibulando de medicina é super limitado né? Então irei fazer duas vezes por semana uma coisa que amo: correr. O mais legal é que dá pra se exercitar ouvindo música, palestra, alguma videoaula de humanas, com companhia.

Acho que o mais importante de um cronograma é ele não ser baseado nos outros mas exclusivamente em você. Só você sabe a hora que rende mais, seus compromissos do dia-a-dia, quanto tempo demora para de deslocar e etc. Não acho muito interessante colocar no cronograma os horários e dia que você vai estudar cada matéria porque meio que te deixa “engessado”. Mas aí vai de cada pessoa. Pra algumas pode ser mais organizado, para outras, nem tanto. Eu coloquei no meu cronograma: “Matéria do dia” porque como vou fazer cursinho é bem importante estudar no mesmo dia a matéria que foi dada para melhor fixação.

Ahhhh! Outra coisa! Também vejo que falhei muito ano passado em dar muuito tempo para algumas matérias e não dar tempo de estudar as outras. Exemplo: em uma tarde eu teria que estudar matemática, história, português e biologia. Aí eu emperrava em algum exercício de matemática e ficava nele até conseguir resolver. Resultado? Tinha passado quase a tarde inteira estudando matemática e deixado as demais matérias de lado. Então não dá pra perder tempo em exercícios que você não consegue resolver, é melhor colocar uma observação, voltar depois, pedir ajudar de algum amigo/professor/plantonista depois que vai até mais fácil resolver.

E é isso! Procurei deixar bem equilibrado. Deixar para estudar muito durante a semana e durante o final de semana ter algum lazer porque ninguém é de ferro né? Até é possível manter um cronograma super punk por um tempo mas e a longo prazo? Como vai estar a saúde emocional para fazer as provas? Pra quem consegue seguir o ano todo sem o mínimo de lazer eu tiro o chapéu rs. Mas pra mim, é necessário ter um descanso no meio de tanto estudo.

Um beijão, Natália.